Dicas

A vida difícil na ilha Holbox

Maio 28, 2016

A ilha de Holbox acorda bem cedo pela manhã e o ritmo sereno dispertino mantém-se por todo o dia. O mar do golfo mexicano banha calmamente o arenal do nordoeste da ilha. Um alinhamento de hotéis pequenos e casas familiares na primeira linha do mar não estraga a paisagem e os turistas preguiçam-se nas cadeiras tranquilamente. Nas ruas arenosas que compõem os principais quarteirões da ilha o dia acorda com as bicicletas e os carros de golfo (únicos veículos da ilha) que dirigem-se à praia. O ferry dá algum ritmo à ilha com a chegada e saída de turistas e locais.

Casa Tortugas em Holbox

Casa Tortugas em Holbox

A vida na ilha é difícil. O cenário junto ao mar é feio. Um mar de três cores: azul turquesa, azul marinho e azul escuro. Um arco-íris azul que se desfaz com o horizonte. Passo o dia entre banhos de água e banhos de sol. Uma toalha, um chapéu, uns óculos de sol e um livro na mão. O tempo passa devagar mas ainda bem que assim é. Quando o estômago clama, o peixe põe-se na mesa. Quando estômago está satisfeito e tarde está quente segue-se para a rede debaixo das palmeiras que apela uma sesta. Quando o sol começa a descer o horizonte, então pode-se caminhar por praias desertas. Avistam-se flamingos e outras aves. No final do dia, o pôr do sol chama toda a população à praia, como se fosse um evento raro que fosse acontecer. Todos olham o céu como forma de agradecimento por estarem a viver de uma forma simples e cheia no paraíso. À noite brinda-se e dança-se nos bares da praia.

Final da tarde na praia

Final da tarde na praia

A monotonia do paraíso não cansa. Mas se cansar, pega-se na bicicleta e vagueia-se pela ilha, vai-se mergulhar com os tubarões baleia, pratica-se yoga frente ao mar ou aprende-se a fazer kitesurfing.

A ilha é monótona mas vive! E todos que por ali vivem são de todos os lugares do México e do mundo. Chegaram, amaram e por ali decidiram viver no paraíso.

Facebook Comments

You Might Also Like

No Comments

Deixe um comentário