Diários-México

Quintana Roo é de todos e não é de ninguém

Maio 30, 2016

O estado de Quintana Roo é conhecido pelas praias do caribe, pelos cenotes e pelas as ruínas de Chichen Itzá. Desde de Cancun até à fronteira com o Belize, em toda a região da Riviera Maia nasceram novas cidades turísticas. Uma história com sensívelmente 50 anos, até então tudo era selva, mar e fauna. As cidades edificadas não são bonitas mas o mar, esse sim, é lindo de morrer. Pleonasmo. Demasiado forte mas verdade seja dita nem que seja de uma forma exagerada!Ninguém é daqui. Mas todos querem e dizem ser daqui. Seja em Cancún, em Holbox, em Playa del Carmen, em Túlum, Mahahual ou Bacalar. Todos chegaram de malas e bagagens para começar uma vida de novo. Num México paradísiaco, onde a violência e o tráfego não são conhecidos. E onde se conhece um México aberto e curioso a todos os quanto chegam ali.

O Mário veio de Guerrero, do centro do méxico, uma pequena cidade onde a violência tomava conta das ruas e onde o seu trabalho no banco tomava-lhe a vida. Chegou a Túlum com ideias de criar um negócio próprio e em pouco tempo arranjou trabalho. O seu sonho ainda está em construção mas para já ser recepcionista numa cadeia de alojamentos locais é suficiente para viver como sonhava, em paz. A Sara chegou a Tulum vinda da Cidade do México, cantora, com uma voz forte e rouca, encanta as noites de Tulum. Os amigos abriram-lhe as portas e o seu talento sentou-a na cadeira dos palcos. No terraço de um bar em Tulum, a sua guitarra acústica toca sem medo com a sua voz doce e rouca. Bany, mais um amigo deste grupo, foi dos primeiros a chegar a Tulum. Ali, criou o seu negócio de jardinagem, na principal avenida de acesso às praias, um viveiro com plantas tropicais.

bany tulum looking around mario tumulo lookingaround

Em Playa del Carmen a história repete-se. Carlos começou o ano com vida nova. Mudou-se para a sua casa de praia sem emprego na algibeira. Conhecia bem Playa del Carmen e já tinha amigos de longa data a viverem por ali. Ao final de um mês começou a trabalhar num notário e vive o seu sonho de verão. Não é apenas um sonho mexicano. A Playa del Carmen chegam turistas que decidem ficar. A Maria é uma guimaranense que viveu 35 anos na Alemanha e que há 8 meses abriu um restaurante numa das avenidas de Playa del Carmen. O Marcelo chegou da Argentina e durante a sua viagem pelo México decidiu ficar ali uns meses para juntar dinheiro. Dá aulas de ténis e aproveita a praia e os convívios com os amigos que foi conhecendo. Raquel chegou de Espanha e alimenta o seu sonho holoístico no Jardin de Todos. E como ela muitos espanhóis, incluindo grupos hoteleiros, tomam conta de uma grande parte de empreendimentos turísticos e restaurantes. Uma cidade em crescimento, tão veloz que esqueceu de ter cuidado com os passeios da rua, a arquitectura das casas e os jardins. Depois das principais avenidas turísticas e do Playacar, que é uma cidade fechada de casas ricas e resorts, não há nada de interessante para visitar.

Na ilha de Holbox, novamente. O Gonçalo da cidade do México, o Bucha da Argentina, a Anna de Itália. Todos fazem parte do novo povo de Quintana Roo. Um novo México. Uma globalização a um estado pequeno. Ninguém é decá mas todos os que sonharam este lugar arrumaram as suas vidas para viver este paraíso. Quintana Roo de todos.

Facebook Comments

You Might Also Like

No Comments

Deixe um comentário