Diários-México

Uma cascata em Palenque

Maio 3, 2016

Depois de uma noite na selva rodeada de todos os sons, o dia despertou-me para mergulhar na mais bela cascatas de Palenque, a cascata Roberto Barrios. As estradas serpenteiam-se mas todos os caminhos vão dar a uma cascata. Há a cascata Água Azul e a Misol-Há nos guias turísticos. Mas há sempre algo melhor que só se descobre quando se chega ao destino.

A Cascata Roberto Barrios fica a uma hora de distância de Palenque. As distâncias no México são numa razão completamente diferente de Portugal. Para ir a algum lugar fora da cidade nunca será por menos de uma hora e menos de 50 quilómetros. Mas não tem importância, o caminho é verde com pastos e árvores. Ao final de uma hora cheguei à povoação. O táxi pára para me deixar sair, a única turista nas redondezas. Dois jovens cobram uma entrada e dali sigo pela terra batida até às árvores onde o som da água ouve-se a correr.

O rio é uma cor azul turquesa incandescente. E de ambos os lados da cascata há pequenos trilhos entre as bases das árvores que levam a cada patamar da cascata. Sigo sozinha pelo trilho. E com o mais de meio milhão de bichos que por ali existem. Passados breves momentos um jovem aproxima-se (e eu já sabia destes guias na cascata) com curiosidade de me conhecer e mostrar-me os recantos daquele lugar. Sem ser inoportuno e incómodo “buenos dias!” e dali conta-me as mil aventuras. O meu lado destemido aproveita as belas águas azuis e quentes que descem as cascatas em ziguezague até à piscina final. Pode-se perder ali todo o tempo do mundo. Mergulhei nas águas para descobrir as grutas escondidas com um mergulho profundo. Depois escalei as rochas para saltar dos penedos mais altos. E por último, apoiada numa garrafa de pástico escorreguei a cascada até ao imenso lago mais abaixo. A aventura prolonga-se por horas entre histórias.

Cascata Roberto Barrios

Cascata Roberto Barrios

A aldeia de Roberto Barrios vive isoladamente, a maioria das pessoas vive da agricultura, onde o milho é o sustento de muitas famílias. Há uma escola, uma clínica, um supermercado e alguns restaurantes. Dali sai um táxi colectivo todas as horas para quem precisa de ir à cidade. A aldeia deixou de ser um caracol, contudo a comunidade vive de forma isolada e parece-me viver sobre os mesmos príncipios.

Mergulhamos nas águas azuis turqueza de novo. E conta-me que deseja viver por ali, não sonha sair da terra como alguns dos seus irmãos que foram para a cidade. E porquê? Porque ali a vida é menos complicada e pode usufruir da natureza todos os dias.

Cascata Roberto Barrios - patamar inferior

Cascata Roberto Barrios – patamar inferior

O pensamento traz-me o guardador de rebanho de Alberto Caeiro. Sonho, que seria um tanto mais feliz se vivesse na ignorância do mundo. Na sabedoria da simplicidade.

Facebook Comments

You Might Also Like

No Comments

Deixe um comentário